Cidade Invisível | Confira nossa análise sobre a mais nova produção brasileira sobre o folclore!

1 mês atrás
96

Um policial que, após ter sua esposa misteriosamente morta em um incêndio na floresta, encontra um boto cor de rosa em plena praia do Rio de Janeiro. Esse é o primeiro passo para que sejamos apresentados a uma mitologia que ronda seres folclóricos inseridos secretamente na nossa sociedade.

Resultado de imagem para cidade invisivel

A série, idealizada pelo escritor Raphael Draccon e Carolina Munhóz, é um projeto que vinha sendo desenvolvido desde 2013 e finalmente viu a luz do dia no início de 2021. A produção é original Netflix e 100% brasileira, tendo o nosso folclore como o grande motor da narrativa. Aqui vemos Eric, interpretado por Marco Pigossi, que se empenha em desvendar o caso do misterioso boto encontrado numa praia do Rio enquanto sua vida pessoal desaba diante de seus olhos. Com dificuldades de criar a filha ainda abalada pela morte da mãe, Eric se vê num beco sem saída entre uma vida pessoal em frangalhos e a investigação sobre algo tão grande que ele sequer é capaz de compreender.

Logo de início, o público é imerso num rico universo de seres fantásticos inseridos no dia a dia da população. Os seres, que são uma respeitosa releitura dos personagens folclóricos que todo brasileiro conhece desde a infância, são forçados a sair do oculto para enfrentar uma ameaça que põe em cheque a sua existência.

É evidente aqui a competência de cada membro da produção em trazer algo totalmente novo em quesitos visuais e de ambientação. As produções nacionais, que normalmente carecem de efeitos especiais que tornem a experiência esteticamente marcante, recebem aqui um super trunfo. Todas as cenas que envolvem criaturas fantásticas com algum tipo de computação gráfica são extremamente bem filmadas. A série não poupa esforços em mostrar as criaturas em sua melhor forma.

Cidade Invisível Curupira | Tem Alguém Assistindo?

Falando nas criaturas, um ponto interessante é como cada uma delas, em sua maioria, têm uma boa apresentação e desenvolvimento. O roteiro constantemente se preocupa em apresentar detalhes nas caracterizações que deem pistas sobre a natureza dessas criaturas e suas habilidades, obrigando o espectador a juntar as pistas para descobrir mais sobre. O fator nostalgia das histórias folclóricas que ouvíamos quando criança é perfeitamente unido com um um ”Q” de originalidade que dá um gosto especial para a série. E olha que nem precisei citar o elenco espetacular que dá vida a esses personagens.

Outro ponto que chama atenção aqui são as locações escolhidas para os acontecimentos da série. Apesar de se passar na cidade do Rio de Janeiro, a história dá ênfase aos lugares onde se localizam comunidades que sobrevivem em meio a floresta. Esse aspecto não só contribui muito para a ambientação como também foge do padrão das produções brasileiras que normalmente exaltam a parte mais urbana da cidade. Através disso a série também consegue passar uma importante reflexão a respeito de como lidamos com as questões ambientais e como isso é vital não só para a preservação, mas também para a sobrevivência de comunidades locais com seus costumes e tradições.

Cidade Invisível | Site Oficial Netflix

Como nem tudo são flores, teve algo em específico que me deixou particularmente incomodado ao longo da temporada. Infelizmente a velha fórmula de produções nacionais que utiliza de diálogos extremamente expositivos para contar algo está presente aqui. Muitas cenas em que o espectador poderia imaginar ou deduzir por si só se tornam decepcionantes pelo fato de tudo estar explicado de forma bem didática nos diálogos entre os personagens, o que infelizmente estraga a experiência volta e meia.

Cidade Invisível passa longe de ser uma série perfeita, mas é uma baita inovação da forma de se fazer cinema no Brasil. Consegue prender muito bem a atenção do público do início ao fim, com um roteiro incrível e personagens cativantes. Espero que com sua grande repercussão nacional e internacional, mais artistas, escritores e roteiristas brasileiros entendam que é possível sim fazer um grande trabalho dentro do gênero de fantasia, ainda mais com a vasta gama de personagens folclóricos da nossa cultura.

Leia mais sobre: Cidade Invisível

 

%d blogueiros gostam disto: