A Rebelde do Deserto | Análise sobre a obra!

2 semanas atrás
69

“Ele tinha desaparecido no deserto para começar uma rebelião e tomar o poder. Uma nova alvorada. Um novo deserto.”

Uma historia longe dos livros com feéricos e criaturas conhecidas. No começo não criei expectativas por não ser uma historia do meu usual, mas Amani se revelou muito importante no quebra-cabeça.

Que livro! Que história! Eu sei que quando tem indicação do Tumblr por trás de uma leitura, ela vai ser boa. Mas essa foi uau. A narrativa em primeira pessoa te apresenta à Amani. Ela vive em um mundo desértico governado por um sultão perigoso e por um exército temível, com a ameaça de visitantes estrangeiros pairando sobre todas as cidades. Miraji é o nome do lugar, e é um péssimo reino para se viver quando se é pobre, órfã e mulher, três coisas que ditam a história de Amani. Mas acima delas, ela é corajosa e ambiciosa.

Amani quer fugir da sua vila natal, quer deixar o conhecido para trás e buscar por um lugar mais seguro. O conhecimento de que a tia vai vendê-la para um casamento é o que impulsiona a habilidosa atiradora a tentar a sorte numa competição; lá, ela conhece um forasteiro, e ele parece sua melhor chance de fugir.

Depois de uma perigosa empreitada, os dois escapam da Vila, confrontando, finalmente, a imensidão do deserto e das possibilidades que ele oferece. Dali para frente, Amani vai cair nas garras de criaturas demoníacas, de militares perversos e, principalmente, das escolhas. Quando a rebelião parece uma nova casa para a garota perdida, quando respostas que ela nunca procurou lhes são oferecidas, quão disposta Amani está a ficar ali e lutar pela causa?

Jin é um ser humano que não enxerga ela como uma mulher, já que nas terras deles as mulheres são inferiores, ele a enxerga como a guerreira que ela é, pra não dar spoiler.

Há personagens que você julga não ser importante, quando na verdade é justamente a causa de todo o fervor do livro.

No começo você acha que é só uma garota querendo sair do deserto, mas a Bandida de Olhos Azuis é muito mais do que só uma “garotinha”.

 

Você começa a ler um desafio e acha que o desvendou, mas está totalmente enganado. O livro me surpreendeu, fiquei agarrada nele que nem a Amani com o sheema dela. Vale muito a pena ler.