A Caçadora de Dragões | Análise sobre a obra!

2 dias atrás
16

Asha foi marcada pelo primeiro Dragão, ela carrega em seu rosto a prova de que é uma Iskari.(Iskari é a deusa da destruição, caçadora de dragões)

Por anos ela caça dragões, e orgulhosamente apresenta as suas cabeças dos dragões abatidos ao seu pai, o Rei Dragão.

Sendo uma Iskari, ela é considerada amaldiçoada e a culpada por ter derrubado a ira do primeiro Dragão sobre o Reino.

Ninguém ousa ficar em seu caminho, por ela mesma se sentir amaldiçoada, ela conta as histórias antigas para qualquer Dragão que queira ouvir. Taís histórias são proibidas, ela envenenam a alma e o corpo de quem as conta, levando assim a pessoa a morte. As historias levaram sua mãe anos antes.

Para fugir de um casamento forçado, ela deve apresentar a cabeça do primeiro Dragão ao seu pai, e assim encerrar esse ciclo.

Em sua jornada tudo o que ela fielmente agredida é posto a prova.

A caçadora de dragões é uma daquelas fantasias gostosas que você devora e não consegue largar, cada capítulo é aguardado ansiosamente pelo leitor.

Quando comecei a ler, eu esperava algo mais arrastado. Mas os capítulos são curtos e cada um trás um aspecto relevante a construção da história.

Me peguei pensando por várias vezes, por que raios eu não li esse livro antes?

A historia não enrola, não fica te fazendo aguardar o livro todo por aquele final que geralmente acontece nas 20 últimas páginas. O que me irrita muito.

Amei a escrita da autora, a história que foi criada e como ela costurou calmamente toda a narrativa.

Me surpreendeu, e favoritei.

Sinopse original:

Primeiro volume de uma trilogia fantástica, em que dragões e humanos estão em guerra — e cabe a uma garota matar todos eles.

Quando era criança, Asha, a filha do rei de Firgaard, era atormentada por sucessivos pesadelos. Para ajudá-la, a única solução que sua mãe encontrou foi lhe contar histórias antigas, que muitos temiam ser capazes de atrair dragões, os maiores inimigos do reino. Envolvida pelos contos, a pequena Asha acabou despertando Kozu, o mais feroz de todos os dragões, que queimou a cidade e matou milhares de pessoas — um peso que a garota ainda carrega nas costas. Agora, aos dezessete anos, ela se tornou uma caçadora de dragões temida por todos. Quando recebe de seu pai a missão de matar Kozu, Asha vê uma oportunidade de se redimir frente a seu povo. Mas a garota não vai conseguir concluir a tarefa sem antes descobrir a verdade sobre si mesma — e perceber que mesmo as pessoas destinadas à maldade podem mudar o próprio destino.