Dica para maratonar: Plastic Memories | Já imaginou ter prazo de validade na memória?

11 meses atrás
253

Sinopse: Esta história se passa no futuro, quando androides que parecem exatamente como os seres humanos começam a ser produzidos. A empresa de produção de androides SA Corp. produziu Giftia, um novo tipo de androide que tem a maior quantidade de emoção e qualidades semelhantes aos humanos fora de qualquer outro modelo já visto. No entanto, devido a problemas na tecnologia, os androides possuem uma vida útil e devem ser desligados. Por esta razão, SA Corp. cria um serviço de terminal, a fim de recuperar os Giftia que passaram do seu tempo de vida útil. Um novo funcionário a serviço do terminal chamado Tsukasa Mizugaki forma uma equipe com a Giftia Isla para recuperar os androides.

A história começa com Tsukasa entrando no escritório do primeiro emprego e conhecendo o dia a dia daquela galera, tem um grupinho das meninas e o trabalho é coletar as Giftias que estão no prazo de validade, mas vamos pensar na vida real um pouquinho, primeiro troca esse “prazo de validade” por “processo de amadurecimento”, na trama os Giftias não envelhecem e possui um sistema de códigos que mantém a memória e personalidade, mas quando está para pifar, viram monstros assassinos, nos primeiros episódios que vão fazer o serviço, a maioria dos donos se recusam a entregá-los mesmo sabendo das consequências, como uma metáfora de “já está na hora da andorinha voar com as próprias asas” e os pais, ou parentes ficam segurando, o medo de perder em alguns casos é tão evidente que em um dos casos que acaba a validade, mostra a irritação, a fúria, o surto, a perda da sanidade, ou seja, mostra na prática como gera descontrole emocional.

 

A trama apresenta um romance entre o protagonista e a Giftia Isla, Isla é uma garota fechada, não é ser tímida, mas é por traumas do passado, por perdas significativas, então eles passam a ser uma dupla no trabalho, Tsukasa não sabia que esse “trauma” dela era muito mais sério do que aparenta. Para ele era uma timidez dela, e juntando com a timidez dele, dá um medo de demonstração²… Mas Tsukasa meio que quebra esse gelo, se aproximando, Isla escreve um diário de tudo que já viu e viveu, mas quando Tsukasa lê, percebe que no diário parece uma garota alegre, espontânea, extrovertida, mas na prática…

Isso vira um romance de dois tímidos procurando se encontrar, o pessoal do trabalho fica em cima palpitando, cornetando, falando indiretas e o que deve ou não fazer, alguns até ameaçam ! Mas Tsukasa gosta mesmo dela, não desrespeita nem nada, só em um momento que falou coisas que ela não gosta de ouvir de alguém que gosta, mas nada grave. O fato é que ao ler o diário, descobre, aos poucos, porque esse trauma todo, porque uma garota tão retraída e desastrada se isola tanto, é bem bonito esses dois juntos, mas para dizer a verdade, todo o desenrolar da história muda completamente com Tsukasa se declarando para Isla.

Ele não esperava que ele mesmo fizesse isso e nem ela esperava de modo algum algo como aquilo, imagina alguém que se fechou por 3 anos emocionalmente e socialmente receber uma declaração desta maneira com pouco tempo de amizade ! Ele têm muita paciência com ela, muita mesmo, mas isso fez ele se sentir rejeitado e se excluiu por um tempo até as coisas se acalmarem, na real, os dois se excluiram e se rejeitaram, ambos acharam que isso foi um erro. Mas será que demonstrar sentimentos é, de fato, um erro? Bom, para as pessoas mais sensíveis, após Tsukasa dizer que vai ficar ao lado dela até o final, pode ser que role uma “sessão corta cebolas!” Recomendadíssimo esse anime de 13 episódios.