anime

O anime em questão levantou muitas opiniões, negativas e positivas, com cada um expondo seu ponto de vista ao polêmico isekai da mãe, mas antes de comentar, claro que a galera que assiste/lê hentai não teve problema com isso, por ser natural terem história de mãe e filho, para um mero mortal como eu, achei estranho ver cenas hilárias, cenas ecchi entre mãe e filho. Mas vamos falar do anime antes das distintas opiniões.

O anime apresenta uma atraente proposta de história, entrar num mundo rpg com a mãe, até aí beleza, o protagonista Masato parece um filho como muita gente, daqueles que planeja se divertir longe da mãe, quer fazer aqueles rolês que a mãe chora e o filho não vê hehehe Aí entra em cena uma garota convidando ele para testar um novo jogo online, que ainda está em fase de testes e ele será a cobaia do jogo. Masato aceita e os primeiros pensamentos dele é “finalmente vou viver uma aventura, finalmente vou estar longe de casa, longe da minha mãe”. Convenhamos, toda mãe grudenta demais provoca esse sentimento de querer distância no filho, mas aí, após Masato embarcar no universo rpg, toda alegria dura pouco, ele olha pra trás e páaa, mamãezinha está bem atrás para jogar com ele… Sério isso?

Na teoria o anime aborda um tipo de mãe super protetora, ciumenta, que quer viver grudado ao filho aonde quer que vá, e existem muitas mães assim na realidade, mas na prática, o anime possui cenas que parece mais um romance entre uma mulher madura e um garoto do que uma aventura… Aí vem as opiniões divergentes, é filho caindo em cima do corpo da mãe de maneira maliciosa, é mãe ficando nua e molhada na frente do filho, é mãe provando uma armadura que é um biquíni ultra erótico, cenas ecchi e por aí vai. Essas cenas e a forma de afeto da Mamako para Masato fez com que tivessem algumas críticas sobre a ‘erotização’ de mãe e filho.

O jogo no qual eles foram enviados ainda é uma fase beta, então são cobaias e tem um motivo para Mamako, a mãe, estar ali, tem a ver com o objetivo desse jogo. O autor deu explicações a respeito dizendo que escreveu esse romance para as mães assistirem (o que parece bizarro) e mostrar essa “toxidade” que algumas mães têm, e também mostra isso, há momentos que mostram quando a mãe passa do ponto de ser mãe, mostra os sentimentos na filha com o desdém da mãe, mostra os sentimentos guardados na filha que tem mãe muito autoritária e tem que fazer o que manda custe o que custar, mesmo que isso signifique pisar nos outros. Convenhamos, isso causa estresse, irritação, depressão, bipolaridade, oscilação de humor, tudo ao contrário do que a mãe deseja no filho, então é um anime muito interessante de assistir realmente, mas com esse ponto de mostrar cenas ecchi entre mãe e filho.

Sinopse:

Quando Masato pensou que uma pesquisa realizada na escola acabou, ele se envolve em um esquema secreto do governo. Como ele foi levado com o fluxo, ele acabou em um mundo de jogos! Como se isso não bastasse, sua mãe também estava lá! Foi um pouco diferente de um típico transportado para outro cenário mundial, mas depois de algumas brigas,

“Mamãe quer ir em uma aventura junto com Maa-kun. Mamãe pode se tornar a companheira de Maa-kun?”

Com isso, Masato e Mamako começaram sua aventura como um par de mãe e filho. Eles conhecem Porta, um lindo comerciante viajante, e Wise, um filósofo lamentável. Junto com seus novos membros do partido, Masato começa a sua jornada.

A adaptação em anime está sendo produzido pela J.C. Staff. A novel é distribuída pela revista Young Ace, da Kadokawa. Os dubladores são:

  • Haruki Ishiya como Masato Ōsuki
  • Ai Kayano como Mamako Ōsuki
  • Sayumi Suzushiro como Wise
  • Sayaka Harada como Porta
  • Lynn como Medhi
  • Satomi Arai como Shirase